George Widene – Gênio Acidental

George Widener é autista, mas tem uma habilidade notável. Ele consegue indicar o dia da semana de qualquer data no passado ou em milhares de anos no futuro com uma rapidez surpreendente.

George é extremamente culto, uma entre cerca de 100 pessoas no mundo que tem uma séria deficiência, mas também uma capacidade mental aparentemente sobre-humana. Como muitos sábios, ele tem dificuldade para explicar como consegue fazer o que faz. Ele afirma que nunca aprendeu a avaliar calendários e diz que isto é apenas uma habilidade natural que ele possui desde seu primeiro contato com um calendário, aos sete anos de idade. “Eu não uso nenhuma fórmula ou qualquer outra coisa”, diz ele. “É como se eu estivesse formando as coisas na minha cabeça”. Tommy McHugh também ostenta um talento de origem inexplicada.

Durante décadas, Tommy, um ex-condenado e ex-viciado em heroína que perambulava pelas violentas ruas de Liverpool, nunca teve interesse pelas artes. “A única arte com a qual tive contato foram as várias tatuagens que fiz pelo corpo”, diz ele. Então, certo dia, enquanto usava o banheiro, Tommy teve uma hemorragia cerebral que quase provocou sua morte. Meses depois de sua recuperação, Mchugh começou a demonstrar intensos períodos de criatividade espontânea, preenchendo cada metro quadrado das paredes de seu apartamento com esboços e pinturas que pareciam vir de outra pessoa.

“É algo extraordinário que aconteceu comigo”, comenta Tommy. “Minha mente borbulha criatividade, assim como um rio de lava. Não consigo parar”. Será que uma lesão cerebral pode tornar alguém brilhante?

Neste episódio, mostraremos como talentos notáveis podem aflorar como resultado de uma deficiência ou trauma não apenas no nascimento, mas também na vida adulta. Embora sejam bastante singulares, a fantástica história de George e Tommy propõe a tentadora idéia de que todos nós podemos ter talentos surpreendentes escondidos em nosso cérebro e aguardando para ser libertado.

Será que algum dia a ciência será capaz de nos ajudar a liberar estes talentos de acordo com nossa própria vontade?

Allan Snyder, um cientista australiano, diz ser capaz. Snyder tem conduzido uma experiência polêmica que consiste em aplicar estímulo magnético no cérebro para despertar a genialidade em pessoas normais. “Este é o primeiro passo para uma máquina de criatividade”, afirma ele. As atuais pesquisas do cérebro de pessoas dotadas podem levar a uma revolução na maneira como compreendemos os limites de nossa própria inteligência e do funcionamento do cérebro em geral.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s